<$BlogRSDURL$>
Doidimais Corporation
Pesquisa personalizada
segunda-feira, junho 27, 2005
 

BOMBANDO!

Situação ruim na verdade abaixa o crime, em vez de aumentar. Quando o negócio tá osso mesmo, nem arma as pessoas conseguem comprar.

***

´Tem um episódio de Simpsons no qual vemos um futuro não muito distante mas bastante sombrio: no lugar de árvores de verdade temos hologramas, robôs malucos caminham sobre a terra, e o ensino público é inteiramente dominado por anúncios. Aulas de matemática são dadas assim: "se tiverem três Pepsis e tomarem duas... o quanto irão se refrescar?"

Mas pensando bem, até que não é uma idéia ruim. Patrocínios seriam uma excelente forma de revitalizar o ensino público. E sinceramente, nenhuma publicidade pode ser pior do que o sufocante e hegemônico projeto gramsciano de politização do ensino.

***

Sustento há tempos¹ que os guevaristas tem muita saudade da Segunda Ditadura, mesmo os que eram jovens demais para entender o que estava acontecendo (os filhos dos anos 80). Num texto de Política II que li recentemente, achei o perfeito modelo teórico para pôr em palavras o que eu antes apenas sentia: grupos², criados com determinados objetivos, derivam suas identidades desses objetivos - e seus membros têm grande satisfação em participar deles, visto que servem para situá-los no mundo e conferir-lhes uma sensação de importância. Quando as circunstâncias mudam a ponto de que os objetivos do grupo deixam de fazer sentido, não ocorre uma dissolução imediata dele: pelo contrário, cria-se uma resistência com vistas manter o problema mesmo que motivava a sua existência. Como argumentam Rubin, Pruitt e Kim, o comitê de greve estudantil da University of New York dava significado e status para centenas de estudantes que estariam de outra forma presos à rotina de ir a aulas e preparar-se para provas. Estes alunos tinham um interesse oculto em manter o comitê funcionando, e, portanto, um interesse oculto na continuação da crise.

Da mesma forma, os líderes militares japoneses que atacaram Pearl Harbor não o fizeram realmente por uma decisão estratégica. Eles sabiam que o que estavam fazendo era extremamente arriscado. Mas estes líderes haviam conquistado suas posições por causa da grande importância para os japoneses da guerra que eles estavam a levar na China e na Indochina. Em 1941 (ano do ataque ao Havaí), os EUA começaram a bloquear o transporte de petróleo a partir do que hoje chamamos Indonésia, o que tornou difícil para o Japão continuar o esforço de guerra. Se a guerra parasse por aí, esses almirantes e generais não teriam tanto mais a fazer. Para manter suas posições, arriscaram o futuro do país numa guerra com ninguém menos que Roosevelt. Arriscaram, e, como todos sabem, perderam feio. MUITO feio.

Assim, não é de se surpreender que exista muita mais saudade da Ditadura entre os guevaristas faficheiros do que entre as famílias Castelo Branco ou Médici. Completamente cegos pela doutrinação esquerdista que receberam na escola e continuam recebendo na Universidade, sempre com a mais firme³ convicção de que o que recebem são debates equilibrados, os guevaristas não concebem uma posição no mundo que não seja altamente politizada. Separam tudo entre o que é revolucionário e o que é reacionário - mas sempre rejeitando o maniqueísmo. Trata-se de muita letargia: pois equivale a dizer: "não devemos separar as coisas entre boas e ruins. Mas que o maniqueísmo é ruim, é!"

Como não podem, como fizeram seus professores e mentores, olhar para a terra da felicidade que era a URSS, os guevaristas rasgam elogios a Cuba - um raio de paiseco que não tem nada a nos ensinar, porque Chile, Costa Rica e "até" a Argentina são mais desenvolvidos que a ilha de Ruz, sem para isso terem que continuar suas ditaduras até hoje: enquanto a redemocratização há anos espalhou-se pelo continente, na ilhota ainda sobrevive o paredón.

Paralisados, sufocados, desnorteados (ou dessulizados, porque têm mania de Sul-Sul), só resta mesmo aos guevaristas curtir a vida no bem-bom, promover encontros em Porto Alegre e sentir no peito aquela angústia nostálgica de saudades da Ditadura.

***

Sim, o texto full-fledged é sintoma de tempo extra. Aleluia!

Em tempo: assistam Batman Begins. A conclusão, para os que têm que levar todo filme para a realidade imediatamente aplicável (os idiotas) é uma só: precisamos de um herói mascarado em Brasília.

E outro em São Paulo, Rio, BH, Vitória, Salvador (esse ia dar umas porradas naquele gordo!), São Luís, Santo André, Ouro Preto, Porto Alegre, Cubatão, Lafaiete...


¹ Eu ia escrever "sempre sustentei", mas não seria verdade.

² Eu ia escrever "grupos sociais", mas como detesto o adjetivo "social", preferi evitar. Imagino que o propósito da frase não tenha sido prejudicado por isto.

³ Eu ia escrever "mais pura conviccção", mas evidentemente estamos diante de uma convicção que nada tem de "pura", a não ser talvez pura babaquice.
 

Peixes:
terça-feira, junho 21, 2005
 

ATÉ BREVE, JORNALISMO?

A chave pode girar em breve. Se não houver um Plano de Ensino legal disponível, vou trancar o curso na UFMG por seis meses.

Motivo: eu contaria, mas é segredo profissional. Uma moçada acima de mim recomenda que eu não conte. Oh bem, não é lá uma história muito interessante. Vocês não estão perdendo nada.

***

Tenho um zilhão de coisas pra postar, mas a inspiração não veio. Deve ser a falta de férias. Fico devendo essa. Até mais e obrigado pelos peixes¹.


¹ Se eu soubesse HTML, ia mudar a palavra "Comentários" para "Peixes".
 

Peixes:
segunda-feira, junho 06, 2005
 

ARDENTE AÇOITE
(ao som de Joby Talbot - So Long and Thanks for all the Fish)

Um zilhão de coisas. Mas ficam aqui registradas pílulas, que dão tempo.

So long, and thanks for all the fish!
So sad that it should come to this
We tried to warn you all but oh dear!

O cheiro do cabelo dela num banco de praça da Cidade Jardim, novamente numa sexta-feira dia 3. Tudo de vibe!

You may not share our intellect
Which might explain your disrespect
For all the natural wonders that grow around you...

Pode ser guevarista, esquerdista, revolucionário, sanguinário, o que for. Pode tudo, frita o quanto quiser. Fala a besteira que for.

SÓ NÃO FALA mal da Coca-Cola. Pra isso tem que ser MUITO ignorante...

So long, So long, and thanks for all the fish!

Porque coisas tão ruins acontecem com pessoas que a gente gosta?

(mas às vezes as coisas ruins são revertidas, para felicidade das pessoas e para pior pro desenvolvimento espiritual das mesmas...)

The world’s about to be destroyed
There´s no point getting all annoyed.
Lie back and let the planet dissolve (around you)

Nestas duas últimas semanas de CUP, as coisas vão acabar. Tomara que não desintegrando...

Despite those nets of tuna fleets
We thought that most of you were sweet
Especially tiny tots and your pregnant women...

Não vi nada demais em A Queda, o tal filme do Hitler. Mas foi comovente, porque assisti o filme com minha mãe, que ao final começou a chorar bastante. O pai dela, meu avô, lutou na Itália na Segunda Guerra Mundial e está muito doente. De repente, o peso do conflito mais devastador de todos os tempos desabou nos ombros dela, e eu a abracei em socorro. Ao final, uma caminhada pela Praça da Liberdade, ao cheiro de dama-da-noite e respirando aliviados o ar de sessenta anos depois.

So long, So long, So long, So long, So long!
So long, So long, So long, So long, So long!
So long, So long, and thanks... for all the fish!

O semestre mais intenso e um dos mais felizes da minha vida é também o em que menos vi meus antigos amigos do CMDS.

Coincidência?

If I had just one last wish...
I would like a tasty fish

If we could just change one thing
We would all have learnt to sing!

E se você ainda não viu O Guia do Mochileiro das Galáxias, veja.

Como Lucas Mendes deveria dizer:

Adeus, e obrigado por todos os peixes.

Come, one and all...
Man and mammal...
Side by side in life’s great gene pool...

So long, So long, So long, So long, So long!
So long, So long, So long, So long, So long!
So long, So long, and thanks - for all the fiiiiiiiiiish!
 

Peixes:
quarta-feira, junho 01, 2005
 

HABEMUS COORDENATUM

*abre-se a cortina da varanda*

*entra o Camerlengo*

Fratelli e sorelli carissimi, queridísimos hermanos y hermanas, bien
chers frères et soeurs, liebe Brüdern und Schwestern, dear brothers
and sisters, representatives of the world!

Annuntio vobis gaudium magnum:
Habemus Coordenatum!

Eminentissimum ac Reverendissimum Dominum,
Dominum , Erika, Robert Vinicium, Tiagum,
Sanctæ TEMASæ Directorum Molinari,
Sanctæ TEMASæ Academicum Assistentium Gama,
Sanctæ TEMASæ Administrativum Assistentium Ramos,
qui sibi nomen imposuit GAMOLRAM!

*multidão vai ao delírio*

*entra tradução da CNN*

They have chosen for TEMAS 2 the most blessed theme of "SOVEREIGNTY".
A fundamental theme in International Relations, and it is it that will
guide the discussions and committees of TEMAS for the next year.

Commitees in TEMAS 2 will include:
- the most blessed simulation of one of the most important
international treaties ever,
- the most holy simulation of a great, bloody war somewhere in the Americas,
- the most sacred simulation of a troublesome regional organization,
among others.

As it is the sacred tradition passed on by CASMORFEL, committes will
always have two directors each. And TEMAS 2 will feature
joint-directions, with one Director from PUC-Minas and the other from
a different university. Invitations for Directors were already made,
and at least one was already confirmed. Men and women of extraordinary
skills, inhuman talent, and untiring passion for MUNs that were
delegates in the first TEMAS may try to take a look at this
opportunity. An "edital" has opened, and closes June 15.

Except in our hearts and minds and as the stone and foundation of
TEMAS, CASMORFEL is no more. The tripartite entity was dissolved. All
greet GAMOLRAM, who will soon make a most holy announcement!

Fratelli e sorelli carissimi, queridísimos hermanos y hermanas, bien
chers frères et soeurs, liebe Brüdern und Schwestern, dear brothers
and sisters, representatives of the world!

The most blessed city of Belo Horizonte awaits you all in April 2006.

In the name of Cas, Mor and the Holy Fel,

Temas.
 

Peixes:
A corporação mais lucrativa, subversiva e informativa do planeta. Doidimais Corporation- expandindo pelo mundo para que você expanda o seu. Doidimais Corporation- ajudando você a ver o mundo com outros olhos: os seus. Doidimais Corporation- a corporation doidimais. doidimaiscorporation[arrouba]gmail[ponto]com

ARQUIVOS
Fevereiro 2004 / Março 2004 / Abril 2004 / Maio 2004 / Junho 2004 / Julho 2004 / Agosto 2004 / Setembro 2004 / Outubro 2004 / Novembro 2004 / Dezembro 2004 / Janeiro 2005 / Fevereiro 2005 / Março 2005 / Abril 2005 / Maio 2005 / Junho 2005 / Julho 2005 / Agosto 2005 / Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Agosto 2006 / Março 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Dezembro 2007 / Março 2008 / Maio 2008 / Junho 2008 / Agosto 2008 / Março 2009 /


Powered by Blogger